Resposta curta: o que eu estava precisando!

Resposta longa: um javascript que customiza seu textarea, permitindo uma edição de textos (X)HTML facilitada.

Percorri várias páginas de programas que utilizam AJAX para tentar usar parte do código, mas me frustrei em todas. Hoje, quando estava escrevendo o outro post, resolvi clicar no botãozinho de ajuda da caixa de texto. Para minha felicidade me deparei com isso:

About TinyMCE

Version: 2.0RC4

TinyMCE is a platform independent web based Javascript HTML WYSIWYG editor control released as Open Source under LGPL by Moxiecode Systems AB. It has the ability to convert HTML TEXTAREA fields or other HTML elements to editor instances.

Copyright © 2005, Moxiecode Systems AB, All rights reserved.

For more information about this software visit the TinyMCE website.

Abraços.

Anúncios

Se você é “organizado” como eu, vai achar isso interessante.

Faz um tempo que estou pensando em procurar ou criar algo para encontrar arquivos duplicados no HD, para dar uma liberada nele. Sabe como é, músicas, fotos, backups…

Então hoje, quando decidi realmente procurar ao invés de só pensar em procurar 🙂 , encontrei um shell script interessante em http://elonen.iki.fi/code/misc-notes/remove-duplicate-files/index.html .

O script varre o hd, a partir da pasta atual, localizando arquivos duplicados e gera um shell script com comandos rm comentados. Para apagar os arquivos, edite o arquivo de saída e descomente as linhas dos arquivos que deseja apagar.

Se você tiver dois arquivos iguais, o script gerado terá opção de remoção dos dois, você é quem escolhe qual permanece e qual será apagado.

Abaixo segue o script:

(desculpem a falha, não vi que quando postei a primeira vez sumiram alguns “\”)

OUTF=rem-duplicates.sh;
echo "#! /bin/sh" > $OUTF;
find "$@" -type f -print0 |
xargs -0 -n1 md5sum |
sort --key=1,32 | uniq -w 32 -d --all-repeated=separate |
sed -r 's/^[0-9a-f]*( )*//;s/([^a-zA-Z0-9./_-])/\\\1/g;s/(.+)/#rm \1/' >> $OUTF;
chmod a+x $OUTF; ls -l $OUTF

Espero que se divirtam com isso.

Visando aumentar a velocidade e qualidade nas traduções, proponho a campanha: Adote um Pacote! Membros oficiais e colaboradores estão convidados a participar.

Como fazer?

Entre na página http://wiki.ubuntubrasil.org/EdgyPacotes.

MEMBROS OFICIAIS: Escolham pacotes “órfãos” para adotar. Coloquem seus nomes na coluna “Revisor” e ajudem na revisão/tradução.

COLABORADORES: Escolham pacotes para adotar e fiquem no pé do revisor para ele ver o que você fez (já fiquei muito no pé do Og, ele me ajudou a entrar no time para eu para de incomodar… rs). Se o pacote ainda não tiver revisor, convide (ou convoque) um.

Acredito que assim caminharemos mais rápido.

Mais uma vez, meu elogio a todos que estão empenhados e que colaboraram com a tradução de 1046 mensagens em um dia!

Gostaria de começar parabenizando os membros e colaboradores da equipe de tradução pelo trabalho feito nos últimos dias. Acompanhando nossa “página mais importante“, como disse o Og, é possível ver a velocidade do trabalho coletivo. Desde o dia 15 até hoje (dia 24) a página foi alterada mais de 45 vezes! Ou seja, sempre alguém atualizando as informações sobre o progresso de tradução de algum pacote.

Aproveitando, vou deixar aqui uma dica para auxiliar na tradução. Logo após a primeira sessão do Dia do Tradutor foi feita a seguinte pergunta: “Vocês não acham que falta uma ferramenta de busca no Rosetta? Pode acontecer de encontrar alguma frase errada, aí vai no Rosetta e tem de investigar centenas ou milhares de linhas até encontrar a frase errada.” Concordo totalmente com isso, (dentre outras coisas) falta uma ferramenta de busca no rosetta.

Mas como somos brasileiros, podemos dar um jeitinho… 🙂

Por exemplo, estou cuidando da tradução do vim. Utilizando ele por esses dias, observei uma tradução que não ficou muito boa, pois dois comandos ficaram com o mesmo atalho. E agora? Como faço pra achar justo aquela sentença no meio das 1427 existentes no vim?

Ao editar as traduções no rosetta, verifiquei que o endereço da segunda página é o seguinte:

https://launchpad.net/distros/ubuntu/dapper/+source/vim/+pots/vim/pt_BR/+translate?start=10

Então resolvi testar se funciona o argumento batch que foi sugerido para a página principal de traduções, e mudei o endereço para o seguinte:

https://launchpad.net/distros/ubuntu/dapper/+source/vim/+pots/vim/pt_BR/+translate?start=0&batch=100

O que retornou as 100 primeiras sentenças do vim, para minha felicidade! Com isso, pude fazer uma busca utilizando o CTRL+F do firefox. O único porém é que essa busca não lê o conteúdo das caixas de texto, ou seja, das traduções aceitas. Por isso tive que buscar a partir da sentença original (em inglês).

Na verdade, fiz a filtragem de 200 em 200. Não recomendo mais que isso por causa do timeout. Ah, não esqueçam de deixar a página carregar por completo antes de efetuar a busca.

Inspirado pelo Planeta e pelo bom e velho Og, estou começando meu blog sobre Ubuntu e coisas do tipo.

Como todos sabem (ou estão sabendo agora), dia 26 de outubro será lançada a próxima versão do Ubuntu, por isso estamos apertando o passo com as traduções (participem do Dia do Tradutor). Apesar de estar a pouco tempo no time de tradução, pude observar e aprender algumas coisas. Dentre elas, ressalto uma de grande importância: tradução demanda paciência! Como eu também não a possuo em excesso 🙂 , vou dar algumas dicas para quem quiser se aventurar…

Em primeiro lugar, tradução sem paciência gera resultados catastróficos: erros de ortografia, erros de concordância, erros de lógica na formação da frase e, o pior, erros graves de tradução!

Comentando com o Og, encontrei alguns erros engraçados que complicariam a vida de quem tivesse utilizando o programa que contém essas frases. Em um programa com cadastro de usuário, encontrei o seguinte:

Frase original | Tradução correta | Tradução encontrada
Marital Status | Estado civil | Estado de segurança
Single | Solteiro | ocioso
Divorced | Divorciado | Tirar a voz

Além de outros que ainda estou tentando entender…

Outra coisa, estamos com a lista de pacotes a serem traduzidos na página EdgyPacotes. Se observarem, verão que muitos dos pacotes com maior porcentagem de tradução estão parados em frases grandes, como o pacotes whois. Só faltam 2 frases para concluir a tradução deste pacote, mas são frases que desanimam pelo tamanho. Uma delas é a seguinte:

Usage: whois [OPTION]... OBJECT...↵
↵
-l                     one level less specific lookup [RPSL only]↵
-L                     find all Less specific matches↵
-m                     find first level more specific matches↵
-M                     find all More specific matches↵
-c                     find the smallest match containing a mnt-irt attribute↵
-x                     exact match [RPSL only]↵
-d                     return DNS reverse delegation objects too [RPSL only]↵
-i ATTR[,ATTR]...      do an inverse lookup for specified ATTRibutes↵
-T TYPE[,TYPE]...      only look for objects of TYPE↵
-K                     only primary keys are returned [RPSL only]↵
-r                     turn off recursive lookups for contact information↵
-R                     force to show local copy of the domain object even↵
•••••••••••••••••••••••if it contains referral↵
-a                     search all databases↵
-s SOURCE[,SOURCE]...  search the database from SOURCE↵
-g SOURCE:FIRST-LAST   find updates from SOURCE from serial FIRST to LAST↵
-t TYPE                request template for object of TYPE ('all' for a list)↵
-v TYPE                request verbose template for object of TYPE↵
-q [version|sources|types]  query specified server info [RPSL only]↵
-F                     fast raw output (implies -r)↵
-h HOST                connect to server HOST↵
-p PORT                connect to PORT↵
-H                     hide legal disclaimers↵
••••••--verbose        explain what is being done↵
••••••--help           display this help and exit↵
••••••--version        output version information and exit↵

Não que seja errado pular (eu também pulo), mas gostaria de incentivar os tradutores (oficiais e colaboradores) a gastarem o tempo de 5 frases curtas com uma frase longa. Isso diminui pouco da porcentagem, mas é um alívio muito grande depois de pronto.

Saindo do Forno!

21/07/2006

Já perceberam como o primeiro post de um blog geralmente é ruim?

Por isso vou fazê-lo bem curto para diminuir a agonia (minha e sua).

Pretendo escrever aqui coisas que passarem pela minha cabeça: sobre a vida, sobre computador, etc.

Para divulgar esse blog, estou lançando uma promoção: o(a) primeiro(a) que postar um comentário ganha um abraço, totalmente grátis e sem custos de envio.

Abraços.